Segunda-feira, 28 de Dezembro, 2015

Volta a Portugal: Rui Sousa foi o melhor


Realizou-se hoje a segunda etapa em linha que contou com a vitória de Rui Sousa, e com um novo líder. A segunda etapa tinha uma chegada a Sta. Luzia, uma subida que era curta e não tinha grandes percentagens de inclinação, mas que podia causar algumas diferenças no que toca a homens da geral.

Imagem

Favoritos
ImagemHugo Sabido, Arkaitz Duran, Eduard Prades
ImagemJorge Montenegro, Edgar Pinto, Delio Fernandez,  Armindo Fonseca, Daniel Silva
ImagemAntonio Santoro, Aleksejs Saramotins, Vegard Stake Laengen, David Livramento, Hernani Broco, Danail Petrov

A etapa começou com muitos ataques para formar a fuga. Fuga que era mais tarde composta por dez homens, dois de duas equipas portuguesas. A dezena da frente era composta por: Joni Brandão (Efapel – Glassdrive), Javier Ramirez (Rádio Popular – Onda), Karol Domagalski (Caja Rural – Seguros RGA), Jay Thomson (MTN – Qhubeka), Marc De Maar (UnitedHealthCare), Maxime Daniel (Sojasun), Paul Poux (Sojasun), Reto Hollenstein (IAM Cycling), Sébastien Duret (Bretagne – Séché Environnment) e Alfredo Balloni (Ceramica Flaminia – Fondriest).

O grupo da frente ganhou rapidamente vantagem, tendo chegado ao quilómetro 90 (100 km para a meta) com oito minutos e meio de vantagem. Nessa altura, o pelotão já trabalhava, mas num ritmo leve que só deu para manter a vantagem.

A cerca de 50 km para a meta, houve desorganização no pelotão e não havia quem trabalhasse pelo que a vantagem subia. Mais tarde OFM e Team De Rijke assumiram o controlo da fuga.

Já a 20 km da meta, a fuga tinha dois minutos e parecia que esta ia ser apanhada. Mas mais uma vez houve desorganização e a vantagem subiu até aos dois minutos a 15 km da meta. Só depois foi Leopard e a Efapel a trabalharem.

Nessa altura, já Marc De Maar tinha sido apanhado pelo grupo do camisola amarela, após ter descolado da frente da corrida.

Começava a subida e Joni Brandão e Alfredo Balloni era os únicos resistentes. No pelotão a Efapel trabalhava mesmo tendo um homem na frente, o que levantava dúvidas sobre a tática da equipa.

A 2 km da meta o português decide deixar Balloni para trás e vai sozinho. No pelotão Rui Sousa atacava levando consigo na roda Danail Petrov (Caja Rural), Matteo Fedi (Ceramica Flaminia) e Gustavo César Veloso (OFM). Mais tarde chegar-se-iam corredores a Rui Sousa, mas antes Petrov atacava e rapidamente apanhava Joni Brandão, mas o português enganou-se e foi para a abertura que existia para os carros de apoio o que acabou por confundir o búlgaro que também foi para o mesmo engano. O búlgaro ainda tentou desviar-se, mas acabou por cair juntamente com Brandão, uma vez que Brandão tapou-lhe a saída o que pode causar penalização para o ciclista português.

A vitória que parecia ir para Petrov, foi para Rui Sousa que aproveitou a queda entre Joni Brandão e D. Petrov. No que toca aos favoritos a vencer a prova, Hugo Sabido e Daniel Silva perderam tempo para Rui Sousa.

No final, Joni Brandão disse não perceber a tática da equipa ao trabalhar para o tentar apanhar e Petrov atribuiu a culpa da queda a Joni Brandão. Com isto tudo, o líder agora é Marcel Wyss que pode ser um dos favoritos à conquista do triunfo final da prova.

Etapa

1 Rui SOUSA EFG 4:41:21
2 Matteo FEDI CER m.t.
3 Aleksejs SARAMOTINS IAM m.t.
4 César FONTE EFG m.t.
5 Gustavo VELOSO OFM m.t.
6 Edgar PINTO LAR m.t.
7 Hernani BROCO EFG m.t.
8 Nuno RIBEIRO EFG m.t.
9 Vladislav GORBUNOV – J AS2 m.t.
10 Marcel WYSS IAM m.t

Geral

1 Marcel WYSS IAM 10:46:27
2 César FONTE EFG a 4
3 Rui SOUSA EFG m.t.
4 Gustavo VELOSO OFM a 6
5 Delio FERNANDEZ OFM m.t.
6 Alejandro MARQUE OFM m.t.
7 Matteo FEDI CER m.t.
8 Yannick TALABARDON SOJ a 7
9 Vladislav GORBUNOV – J AS2 a 9
10 Hernani BROCO EFG a 10

*hoje o Diário irá ser postado na página de facebook, uma vez que nem o César nem o Célio têm tido muito tempo, pelo que o diário vai ser publicado lá mais tarde. https://www.facebook.com/mywebciclismo?ref=hl

 

 

Leave a Reply