Quinta-feira, 12 de Março, 2015

Portugueses de Regresso à Luta


Depois de uma etapa onde a Caja Rural dominou do principio ao fim e onde ficou com a camisola amarela, nesta 2ªetapa da Volta a Portugal do Futuro as equipas Portuguesas, quase que fizeram uma aliança para mostrar que a Caja Rural não iria dominar esta volta. António Carvalho foi então o vencedor desta 2ªetapa, no entanto a camisola amarela mantêm-se no corpo do Russo Alexander Ryabkin.

Desde o inicio da tirada que as equipas Portuguesas se mostraram inconformadas com o trabalho desenvolvido até aqui, sendo a Aluvia-Valongo a dominar os primeiros quilómetros da etapa até à chegada à contagem de montanha do Moinho do Pisco. Apesar do trabalho da equipa de Valongo, foi Vasco Pereira, do ASC-Vitória que chegou em primeiro ao alto de Moinho de Picos, reforçando assim a sua liderança da montanha.

Depois da passagem pela montanha a Aluvia Valongo continuou com a sua estratégia ofensiva, mas contou com o apoio da Liberty Seguros, que juntou dois ciclistas à fuga já criada, passando assim estas duas equipas a contar com 6 ciclistas na frente da corrida.

Com todas estas movimentações, a Caja Rural despertou e começou a perseguição os lideres, tendo alcançado um quinteto que seguia em perseguição e conseguindo reduzir a desvantagem que tinha para o grupo que liderava.

Com todo o trabalho da Caja Rural, os lideres da corrida foram perdendo terreno, chegando à meta com 2m35s sobre o pelotão, números que não chegaram para tirar a camisola amarela a Ryabkin.

A classificação geral continua assim liderada por Alexander Ryabkin, seguido de Yelko Gomez e Joni Brandão, melhor Português classificado, que está a 1m02s da liderança.

A etapa de amanhã começará em Porto de Mós e terminará no Alto do Montejunto, numa distância de 108,7km. A chegada está prevista para as 15horas.

Leave a Reply