Sexta-feira, 4 de Dezembro, 2015

Gerald Ciolek impõe-se ao sprint em Tavira


image

O alemão Gerald Ciolek (Omega Pharma-QuickStep) venceu hoje, ao sprint, a quarta etapa da Volta ao Algarve, uma viagem de 186,3 quilómetros, entre Vilamoura e Tavira, que permitiu ao australiano Richie Porte (Sky) a manutenção da camisola amarela.

Depois de na segunda etapa o esforço da Omega Pharma-QuickStep ter sido inglório, a equipa belga não se deixou hoje surpreender, pegando no pelotão nos derradeiros quatro quilómetros. O labor da equipa foi tão perfeito que, além de lançar Gerald Ciolek para o triunfo, Matteo Trentin conseguiu a segunda posição, dando a dobradinha à Omega Pharma. O terceiro foi Henrich Haussler (Garmin-Barracuda) Edvald Boasson Hagen (Sky) foi o quarto, resultado que lhe permitiu assumir a liderança da classificação da regularidade, ainda que em igualdade pontual com Ciolek.

A dispura da camisola amarela esteve adormecida, tendo Richie Porte feito uma viagem tranquila. Já a batalha particular pela segunda posição animou-se. Rui Costa bonificou numa meta volante e é agora o segundo classificado, embora com o mesmo tempo de Tiago Machado (RadioShack-Nissan). Estão ambos a 12 segundos do líder.

A tirada iniciou-se com a expectativa de saber-se quem conquistaria as classificações da montanha e das metas volantes. Nenhum dos pretendentes pontuou nas metas intermédias, acabando Sérgio Ribeiro e Raul Alarcón por garantirem matematicamente o triunfo nas duas classificações, bastando-lhes terminar a competição.

A jornada foi animada por dez homens, que escaparam com 25 quilómetros de corrida: Dries Devenyns (Omega Pharma-QuickStep), Jan Bakelants e Matthew Busche (RadioSahck-Nissan), Sergio Pardilla (Movistar), Matti Breschel (Rabobank), Mikael Cherel (Ag2r La Mondiale), Greg van Avermaet (BMC), Jesus Hernández (Saxo Bank), Bjorn Leukemans (vacansoleil-DCM) e Julian Sanchez Pimienta (Caja Rural). O entendimento foi bom e os mais resistentes só foram alcançados a dois quilómetros do final.

A 38.ª Volta ao Algarve termina neste domingo com um decisivo contra-relógio individual de 25,8 quilómetros entre Lagoa e Portimão. A luta pela camisola amarela permanece em aberto, dada a qualidade dos contra-relogistas presentes, entre os quais o campeão mundial da especialidade, Tony Martin (Omega Pharma-QuickStep), cujos 50 segundos de atraso relativamente a Richie Porte são recuperáveis num dia de inspiração. Os portugueses Tiago Machado e Rui Costa são outros homens a ter em conta nas contas dos três lugares do pódio.

image

1 Comentário

    Leave a Reply