Quarta-feira, 9 de Dezembro, 2015

Tour 2011: As etapas esmiunçadas


Tour-de-France-Imagem-1O Tour de France está ai a chegar. A prova francesa, que decorre de dois a vinte e quatro de Julho vai contar com 21 etapas ao longo de 3420,5 quilómetros. Neste artigo pretendemos esmiunçar todas as etapas da prova rainha do ciclismo internacional.

Este ano a Volta a Franca vai contar com dez etapas planas, seis etapas de montanha onde quatro têm chegada ao alto, três etapas com grandes inclinações e ainda dois contra-relógios, um individual e outro por equipas. Os atletas vão ter pela frente duas passagens no Galibier, 23 contagens de montanha de 2ª, 1ª e categoria especial e ainda dois dias de descanso. Para além disso não vai haver bonificações.

Foi em 1911 que os ciclistas passaram pela primeira vez no mítico Galibier. Para comemorar os cem anos desta passagem, a organização decidiu não apenas uma passagem, mas sim duas.

As etapas

1º Etapa – Passage du Gois La Barre-de-Monts – Mont des Alouettes Les Herbiers (191km)

clip_image001

Para variar um pouco dos prólogos, o Tour deste ano inicia-se com uma etapa de 191 quilómetros. Com isto a organização pretende dar hipótese aos 198 ciclistas de iniciarem o Tour com um triunfo, em vez de apenas os contra-relogistas terem essa oportunidade. Esta etapa é maioritariamente plana no entanto no terceiro terço, os ciclistas terão algumas subidas pela frente, tendo inclusivamente um final em alto (quarta categoria). Philippe Gilbert poderá ter aqui uma chegada muito ao seu estilo.

2º Etapa – Les Essarts – 23km – Crono Equipas

clip_image002

Um contra relógio por equipas relativamente curto e plano. Não parece ser um contra relógio onde as diferenças venham a ser significativas. Relembro que os tempos das equipas é tido em conta em relação ao quinto ciclista a cruzar a meta.

3ª Etapa – Olonne-sur-Mer – Redon (198km)

clip_image003

Uma etapa talhada para os homens rápidos do pelotão. Nesta edição do Tour os adeptos das grandes velocidades vão ter pouca sorte, pelo que terão que aproveitar as poucas oportunidades que têm para triunfar.

4ª Etapa – Lorient – Mûr-de-Bretagne (172km)

clip_image004

Uma etapa quebra pernas, onde na chegada, no Mûr de Bretagne, os últimos dois quilómetros são com inclinações enormíssimas. É mais uma chegada muito ao estilo do belga Philippe Gilbert.

5ª Etapa – Carhaix – Cap Fréhel (158km)

clip_image005

Mais uma etapa talhada para os sprínteres. Tem algumas pequenas subidas, embora fáceis, poderá fazer a selecção dos sprínteres mais bem preparados para discutir a vitória.

6ª Etapa – Dinan – Lisieux (226km)

clip_image006

Esta é a etapa mais longa desta edição do Tour. Com o percurso acidentado aliado à longa distância desta etapa, uma fuga poderá ter a sorte de triunfar. Na chegada, os atletas vão ter uma subida de apenas 1,5 quilómetros mas com 10% de inclinação.

7ª Etapa – Le Mans – Châteauroux (215km)

clip_image007

A etapa de transição para os Pirenéus acaba por ser a mais plana do Tour 2011. É bom que os sprinters aproveitem esta etapa, porque depois dela vão ter se sofrer bastante para poderem voltar a sonhar com uma vitória.

8ª Etapa – Aigurande – Super-Besse Sancy (190km)

clip_image008

E começa a alta montanha. As dificuldades começam a aparecer, e os sprinters vão definitivamente ficar para trás. Chegou a altura dos trepadores tomarem o protagonismo.

9ª Etapa – Issoire – Saint-Flour (208km)

clip_image009

Etapa com montanha durante toda a sua extensão. Aqui poderá surgir uma boa oportunidade para quem ataque e consiga seguir na frente sem medo. Começa também a selecção de quem não pode discutir a vitória.

Dia de descanso.

10ª Etapa – Aurillac – Carmaux (161km)

TDF11_ET09_PWEB

Depois do dia de descanso segue-se uma etapa relativamente fácil, onde os ciclistas poderão entrar novamente no ritmo. É uma boa hipótese para quem ainda não conseguiu triunfar chegar à sua desejada vitória. Mas não vai ser fácil, pois os sprinters podem aproveitar a oportunidade para levar o pelotão compacto à meta.

11ª Etapa – Blaye-les-Mines – Lavaur (168km)

clip_image011

Etapa relativamente plana, propicia a uma chegada ao sprint.

12ª Etapa – Cugnaux – Luz-Ardiden

clip_image012

Etapa com chegada ao mítico Luz-Ardiden com passagem no Tourmalet. Antes do Tourmalet, uma nova montanha que aparece no Tour, a Hourquette d’Ancizan. Esta etapa vai permitir a grande selecção de quem pode, e não pode, discutir a vitória final.

13º Etapa – Pau – Lourdes (156km)

clip_image013

O Col d’Aubisque, a cerca de 40 quilómetros da meta, vai ser muito complicado de ultrapassar. Na descida para a meta, esta é feita a grande velocidade e, apesar da distância, será difícil recuperar tempo perdido na subida.

14ª Etapa – Saint-Gaurdens – Plateau de Beille (168km)

clip_image014

Uma etapa brutal de despedida dos Pirineus. Vai contar com seis contagens de montanha. Uma etapa decisiva para quem quer lutar pela camisola das bolinhas.

15ª Etapa – Limoux – Montpellier (187km)

TDF_2011_0015_FR_PROFIL_2

Etapa de transição para chegar aos alpes. A penúltima etapa para os sprinters e um descanso para os trepadores e para a equipa do camisola amarela.

16º Etapa – Saint-Paul-Trois-Châteaux – Gap (163km)

clip_image016

Cada vez estamos mais próximos dos Alpes. Etapa com estradas acidentadas e quase permanentemente a subir. Uma etapa para ciclistas experientes com capacidade de sofrimentos.

17ª Etapa – Gap – Pinerolo (179km)

clip_image017

Uma etapa dura que vai contar com uma chegada de segunda categoria. Está quase a aproximar-se o final da Volta a França e as oportunidades começam a faltar.

18ª Etapa – Pinerolo – Galibier Serre Chevalier (200,5km)

TDF11_ET13_PWEB

A etapa rainha. 200 quilómetros e três contagens de categoria especial – todas acima dos 2300 metros – com final na chegada mais alta de sempre da história do Tour, o Galibier, que festeja os 100 anos de inclusão no Tour. É a etapa do tudo ou nada, onde muitos favoritos deixam de discutir a vitória.

19º Etapa – Modane – Alpe-d’Huez (109km)

clip_image019

Basicamente a etapa passada corrida em sentido inverso e com a extensão reduzida para metade. Esta etapa é a selecção quase final, e aqui o Top-3 provavelmente já estará bem defenido.

20ª Etapa – Grenoble – Crono individual (41km)

clip_image020

O único contra-relógio individual da Volta a França. Um contra-relógio que poderá contribuir na luta por uma determinada classificação. Obviamente, Cancellara é o favorito – se ainda estiver com forças. Aqui tudo está em jogo.

21ª Etapa – Créteil – Paris Champs-Elysees (160km)

clip_image021

Etapa de consagração, aqui nada de decide na geral individual. Uma etapa curta, para os ciclistas terminarem as três semanas em festejos na capital francesa.

1 Comentário

  1. leoncio diz:

    Muito Maneiro o Tour de France…
    Ciclismo e atletas de altíssimmo nível de treinamento para aguentar esta pressão toda…

    Viva as bikes…

Leave a Reply