Segunda-feira, 21 de Dezembro, 2015

Thomas Voeckler: “É um milagre”


Na etapa de hoje, a décima oitava, Andy Schleck atacou e ninguém respondeu. Thomas Voeckler justifica porque não ter atacado: “Eu decidi não atacar, porque o objectivo era manter-me na frente o o maior tempo possivel.”, declarou o francês ao terminar a 18ª etapa da Volta a França. Thomas Voeckler é ciclista da Europcar e conseguiu manter a camisola amarela por mais uma etapa, estando a 15 segundos de Andy Schleck.

Thomas Voeckler ainda assim não acredita que consegue vencer a Volta a França, atribuindo a vitória final a Cadel Evans. “Hoje o Cadel Evans esteve muito forte, fez uma subida impressionante e ele é o favorito à vitoria final. Relativamente à forma física, pouco posso garantir para a etapa de amanhã, apenas que vou lutar para manter a camisola amarela. Estou na liderança do Tour de France inesperadamente.”

“A 2645 metros falta o oxigénio… Sente-se dificuldade em respirar. Quando passei a meta mal podia respirar. Só descolei a 200 metros do final. Dei tudo o que tinha.” Thomas Voeckler, que fez a etapa sem rádio, tentou pedir informações a Frank Schleck na tentativa de perceber a situação de corrida. “Eu perguntei ao Frank Schleck como é que ia a vantagem do seu irmão, mas ele disse-me que não sabia. Mesmo assim consegui perceber que tinha pouco menos de três minutos e foi ai que disse ao Pierre Rolland que tinha que puxar. E funcionou, é um milagre.”

Leave a Reply