Quinta-feira, 29 de Setembro, 2016

Quintana, Kruijswijk e Wellens saiem vitoriosos das respetivas provas!


Vitória de Kristoff na última etapa da Arctic Race of Norway. (foto retirada do site LeTour)

 

Com a Volta a Espanha já à vista, terminaram hoje várias provas, entre as mais importantes, a Volta a Burgos, o Eneco Tour e a Arctic Race of Norway, que no ano passado estreou-se no calendário internacional (relembro que, apesar de ser uma prova criada pela A.S.O, não pertence à categoria World Tour, mas sim à 2.1).

A Volta a Burgos, este ano, contou com uma startlist relativamente fraca e Quintana (Movistar) era o principal favorito a vencer. Depois das duas primeiras etapas terem sido ganhas por homens mais rápidos, as etapas 3 e 4 eram mais difíceis (especialmente a etapa 3). Quintana, na etapa 3 venceu e assumiu a liderança e na etapa seguinte, o colombiano não perdeu muito tempo para os concorrentes mais diretos (apenas 1 segundo para Daniel Moreno que era segundo classificado). Hoje, realizou-se a última etapa desta Volta a Burgos, que era um contrarrelógio individual plano de 12.5 km de onde Saramotins (IAM cycling team) saiu com a vitória. Quintana fez segundo na etapa e confirmou, assim, a vitória na classificação geral. Fecharam o pódio da geral, Daniel Moreno (Katusha) e Brajkovic (Astana).

Apesar de na Volta a Burgos a concorrência não ser muito forte, deu para ver que Quintana vai-se apresentar num bom nível na Vuelta a Espanha!

 

Passamos de Espanha para a Holanda, onde realizou-se o Eneco Tour, uma prova bastante interessante que conta com percursos parecidos com os das clássicas. À entrada da última etapa, Wellens (Lotto Belisol) era o líder e assim ficou até ao final da prova. Neste último dia, a OmegaPharma Quick-Step fez a dobradinha e colocou M. Trentin na segunda posição e na primeira, Van Keirsbulck que chegou à meta isolado. Em terceiro, na etapa, ficou o jovem da Topsport Y .Lampaert. Na geral final, a completar os dois últimos lugares do pódio ficaram dois holandeses: Boom (Belkin) e Dumoulin (Argos).

 

A Arctic Race of Norway tinha este ano um percurso mais diícil, com destaque para as etapas 3 e 1 que acabaram por fazer diferenças no pelotão. Porém, estas “montanhas”, se lhe podemos chamar isso, não exigiam muito dos ciclistas e isso beneficiou Kristoff (Katusha) que venceu esta última etapa e fez segundo na geral. Esta última etapa foi discutida ao sprint, com Hushovd a ser batido pelo homem da Kristoff. Na geral final, o vitorioso foi Kruijswijk (Belkin) que se mostrou bastante bem há uns anos, mas que não tem conseguido voltar aos bons resultados recentemente. A fechar o pódio ficou Nordhaug, colega de equipa de Kruijswijk.

Leave a Reply