Quarta-feira, 7 de Setembro, 2016

La Vuelta a España: Antevisão


Está aí à porta mais uma edição da Vuelta a Espanha!

Está aí à porta mais uma edição da Vuelta a Espanha!

 

Começa já dia 23 o terceiro e o último Gt (Grand-Tour) do ano. A Volta a Espanha (assim se chama em português) vai começar em Jerez de la Frontera com um contrarrelógio coletivo e vai terminar em Santiago de Compostela com um contrarrelógio individual (algo que não acontecia na última etapa há 10 anos). A Vuelta deste ano vai contar com nomes como Peter Sagan, Degenkolb a lutar pelas etapas ao sprint e a lutar pela geral, Froome, Quintana serão os principais candidatos à vitória. E Contador? Perguntam vocês e bem. Contador é uma incógnita. Vem de uma fratura na tíbia e ainda não está a 100%. Não tem competido por isso não o vejo a lutar pela geral, mas sim por etapas e quem sabe uma classificação secundária. Também podemos falar de Horner. No ano passado, antes da prova, se me perguntassem se havia possibilidade de ele ganhar a competição, eu dizia que não. Este ano, se me perguntarem o mesmo, a resposta é diferente, mas não é um sim claro. Ou Horner está mesmo bem ou então está mal e o máximo que pode fazer é lutar por etapas. Outsiders, há muitos: Betancur, Aru, Evans, Pinot, D. Martin, J.Rodriquez, Horner, J. Van den Broeck, etc… Uns vão lutar pelo top-10, outros pelo pódio, outros pelo top-5 e de certeza que vão haver ciclistas que vão abdicar de lutar por um bom lugar na geral (porque não está a correr muito bem esse objetivo) e sim por ganhar uma etapa.

Na classificação da montanha, o vencedor ou será quem vence a geral ou um homem combativo que vai bastantes vezes para as fugas.

Das classificações mais importantes, restam-nos duas: a dos pontos e a da juventude. Na juventude não há grandes dúvidas e Quintana deve ganhar se tudo lhe correr normalmente. Na dos pontos, deverá ser um homem da geral a vencer, como aconteceu no ano passado (Valverde fez terceiro na geral e ganhou a geral dos pontos).

 

 

Percurso

O percurso deste ano é, em geral, semelhante ao do ano passado:bastante montanha e algum plano. Porém, este ano temos mais um contrarrelógio individual a meio da prova que irá ditar bastantes diferenças.

Este ano, teremos 3 contrarrelógios, 6 etapas planas, 6 de Alta Montanha e 6 de Média Montanha.

As primeiras etapas mais decisivas são as etapas 1 e 3. A primeira etapa é um contrarrelógio coletivo e aí um ciclista com uma equipa menos boa pode sair prejudicado. A etapa 3, termina a subir. Uma subida curta, mas dura e que poderá fazer pequenas, mas importantes, diferenças.

A etapa 20 será também das mais importantes e das mais decisivas, mas atenção ao contrarrelógio no ultimo dia. O contrarrelógio de 10 km no último dia poderá decidir o líder. Podemos olhar para o ano em que Hesjedal ganhou o Giro d’ Italia. Terminava num contrarrelógio idêntico e a amarela estava em J. Rodriguez, mas no contrarrelógio Hesjedal foi mais forte e passou de segundo a primeiro.

Portugueses

Apesar da startlist ainda não estar fechada, é certo que teremos na edição 69 da Vuelta André Cardoso e Sérgio Paulinho. O segundo deverá ter a função de ajudar Alberto Contador a obter o seu objetivo e, quem sabe, poderá ter a sua oportunidade de, numa etapa de alta montanha, ir para a fuga e tentar a vitória em etapa. André Cardoso, tem mais liberdade na Garmin, mas também tem a função de ajudar o líder que deverá ser Daniel Martin.

Transmissão

A competição espanhola vai ter transmissão na TVI 24 e na Eurosport Internacional, como tem sido habitual nos últimos anos.

Na TVI 24, os comentários são de Nuno Sabido (irmão de Hugo Sabido) e de Bruno Ferreira. Já na Eurosport os comentadores são Paulo Matins, Luis Piçarra e Olivier Bonamici.

Curiosidades

Corredor mais jovem: M. Kudus (MTN Q.). Tem apenas 20 anos de idade.

Corredor mais velho: C. Horner (Lampre). Tem 42 anos de idade.

 

 

 

Leave a Reply