Quarta-feira, 9 de Dezembro, 2015
Diário de Hélder Leal

4ª Etapa – Diário do Hélder


Quarta etapa e que etapa! Um inicio com subidas ligeiras mas percorridas a grandes velocidades, com toda a gente a querer entrar na fuga e, claro, muita gente a perder o contacto com o pelotão. A fuga deu-se por volta do quilómetro 70, num momento em que já íamos com uma média de 46km/h, que para este tipo de terreno é muito elevada. Na fuga seguiam homens que estavam no 10 primeiros da geral e também um homem da selecção, o Micael Isidoro. A LA, equipa do camisola amarela, assumiu a perseguição, com a Lampre a juntar-se mais tarde. Durante as subidas para a contagem de montanha deram-se vários ataques na frente da corrida, com a Barbot assumir o controlo do pelotão depois da passagem no prémio de montanha e a menos de 20 quilómetros para o final com o objectivo de levar o pelotão compacto para um sprint. No entanto houveram vários ataques nos quilómetros finais, o que causou várias dificuldades a candidatos, como é o caso de Sérgio Ribeiro, acabando por ser Jose Toribio, homem da Andaluzia, a vencer.

Para mim hoje foi uma etapa complicada, e passei mal no inicio da etapa. Perdi o contacto com o pelotão e juntei-me a um grupo de cerca de 30 ciclistas. Depois de muito esforço conseguimos alcançar o pelotão, faltavam 70 quilómetros, mas nesse momento deu-se a fuga e visto que as sensações já não eram as melhores, voltei a atrasar-me na passagem da montanha. Foi um dia menos bom.

Amanhã espera-se uma etapa bem mais calma em termos de traçado. A única dificuldade vai ser uma contagem de montanha de quarta categoria, a meio da etapa, e a cerca de 20km entramos num circuito citadino com duas passagens pela meta, sendo a terceira a chegada. É quase certo termos uma chegada ao sprint.

Leave a Reply